Gestão municipal do Recife conhece projeto de psicomotricidade relacional do CIAR

15 de agosto de 2017

O diretor do CIAR (Centro Internacional de Análise Relacional), professor José Leopoldo Vieira, psicomotricista relacional, apresentou em reunião no Recife (PE), as atividades da instituição e a importância da psicomotricidade relacional para a educação, saúde e assistência social para crianças e adolescentes. Participaram do encontro a primeira dama da capital pernambucana, Cristina Mello, dos secretários da Educação e Saúde, respectivamente, Alexandre Távora e Jailson Correia.

De acordo com o Leopoldo Vieira, referência no país em psicomotricista relacional, a importante metodologia tem por objetivo prevenir dificuldades relacionais, de desenvolvimento e de aprendizagem, e colabora para reduzir as mazelas sociais em que estão expostos adolescentes e crianças. Além disso, a psicomotricidade relacional oportuniza uma estruturação mais saudável da personalidade e estimula posturas positivas frente a si mesmo, ao outro e ao mundo.

“Cabe aos gestores brasileiros tomar uma atitude prática em relação à violência, baixo índice de rendimento escolar, estresse dos professores e profissionais e falta de motivação dos servidores que atuam nas áreas de educação, saúde e assistência social”, coloca o professor Leopoldo Vieira. Esse panorama é comum em todas as regiões brasileiras e afeta as crianças e adolescentes de uma maneira muito intensa. “É preciso investir em ações e projetos que tenham resultado positivo e assertivo para a sociedade”, observa. Para ele, já passou da hora de ficarmos presos ao discurso verbal é preciso partir para a ação efetiva e eficaz.

No encontro também foi frisada a relevância do Curso Internacional de Liderança Executiva em Desenvolvimento da Primeira Infância, promovido pela Fundação Maria Cecília Souto Vidigal, rede que promove o desenvolvimento integral da criança. Leopoldo Vieira lembrou que ele, ao lado de Cristina Mello, Geraldo Júlio, prefeito do Recife, e da diretora do CIAR de Fortaleza, Isabel Bellaguarda, participaram e tiveram a oportunidade de compartilhar e conhecer as ferramentas necessárias para elaboração de políticas públicas e programas sociais mais eficazes. Eles ainda participaram do primeiro módulo do curso que foi realizado na Universidade de Harvard (Estados Unidos).

Psicomotricidade relacional

Leopoldo explicou que a prática preventiva possibilita que a criança e o adolescente integrem uma maior compreensão e disponibilidade para usar sua capacidade de adaptação sócio emocional e psicomotora, construtivamente.  “É uma pratica, de mediação corporal, realizada em grupo, através do prazer de brincar, da expressividade e de jogos simbólicos que favorecem a descoberta de diferentes formas de comunicação”.

Para os adolescentes, a psicomotricidade relacional contribui para a afirmação da identidade, ajuste positivo da agressividade, diminuição dos níveis de ansiedade e estresse, melhoria no desempenho escolar, aceitação e integração de limites, favorece os vínculos afetivos, bem como estimula o protagonismo juvenil e a proatividade, dentre outros inúmeros benefícios para um desenvolvimento social e emocional saudáveis.

Sobre o CIAR – O Centro Internacional de Análise Relacional, com sede em Curitiba (PR) e Fortaleza (CE), realiza trabalhos que objetivam desenvolver o potencial do ser humano, elevando a qualidade de vida sócio afetiva e profissional. Presta serviços ligados às áreas de terapia, educação e saúde. Possui normas e procedimentos que facilitam a execução do planejamento e a excelência em seu funcionamento, através do controle do padrão de qualidade no atendimento ao cliente, do apoio ao trabalho desenvolvido pelos profissionais, garantindo o bom funcionamento dos grupos de Psicomotricidade Relacional e de Análise Corporal da Relação. Mais informações: www.ciar.com.br.

Proteger os cérebros, não apenas estimular as mentesCIAR promove mais uma edição de seminário de psicomotricidade relacional