Portugal terá Mestrado em Psicomotricidade Relacional

24 de julho de 2008
Metodologia francesa que trabalha com aspectos afetivo-emocionais e relacionais na educação, após adesão de várias escolas do Brasil, estará na Europa como curso de especialização na Universidade de Évora
O Centro Internacional de Análise Relacional – CIAR, instituição de ensino com sedes em Curitiba e Fortaleza, formou no início do ano um convênio para a formação do Mestrado em Psicomotricidade Relacional da Universidade de Évora, cidade portuguesa que fica a cerca de 100 quilômetros da capital Lisboa.
Desde 2000 o CIAR possui o curso de Pós Graduação em Psicomotricidade Relacional, metodologia francesa criada pelo Educador André Lapierre (1923-2008). Segundo a literatura de Lapierre, este método dá ênfase aos aspectos afetivo-emocionais e relacionais do ser humano, sendo uma ferramenta muito interessante no trabalho com as crianças como preventivo de dificuldades motoras, verbais e gráficas, pois se utiliza do jogo simbólico, por meio de objetos como bolas, bambolês, cordas e bastões, para desencadear o desenvolvimento do potencial cognitivo, emocional e social.
O CIAR também possui cursos de formação em outras cidades como Ubiratã, Paranavaí e Porto Alegre. Nas últimas semanas a sede curitibana recebeu a visita do professor da Universidade de Évora, Jorge de Azevedo Fernandes, do departamento de Esporte e Saúde, Licenciatura em Reabilitação Psicomotora, e que será o diretor do Mestrado em Psicomotricidade Relacional, programado para iniciar em outubro deste ano.
De acordo com Jorge Fernandes, que conheceu o francês André Lapierre há muitos anos, a universidade lusitana possui diferentes graduações em Reabilitação Psicomotora, e no caso da Relacional, o trabalho realizado nas escolas particulares e públicas do Brasil, é referência no objetivo de capacitar os alunos portugueses e de outras nações para trabalharem nas áreas de reabilitação psicomotora. “Em Portugal o termo reabilitação significa um processo educativo de re-educação e terapêutico, e quando pensávamos em trazer para a Universidade de Évora, metodologias que fossem importantes para apoiar o ensino de crianças e jovens, lembramos da Psicomotricidade Relacional”, disse o professor, que aproveitou sua estada em Curitiba para lecionar sobre Psicomotricidade em uma das turmas de Pós Graduação em Psicomotricidade Relacional do CIAR.
O convênio entre o CIAR e a Universidade de Évora prevê uma integração educacional que será muito interessante para os alunos. “Creio que a parte prática da Psicomotricidade Relacional é muito mais desenvolvida no Brasil, e os estudantes brasileiros não precisarão de tanta carga horária neste sentido para o mestrado, mas, em Portugal, eles terão uma ótima oportunidade de desenvolver muitos trabalhos científicos, com base nas disciplinas de psicomotricidade. No caso dos alunos portugueses, eles virão ao Brasil a partir de outubro para estudarem a parte prática, e os brasileiros estarão em Évora em julho de 2009, para ganharem mais embasamento teórico. Portanto, existirá uma troca entre os dois países de conhecimento prático e científico, que será muito válido para a universidade e o CIAR, e todos os professores e alunos”, explicou Jorge.Educadora formada pelo CIAR será uma das mestrandas em Portugal
A psicopedagoga Adriana Cristine Lucchin, mora em Guarapuava é formada em Psicomotricidade Relacional pelo CIAR, e é uma das inscritas no Mestrado em Psicomotricidade Relacional. “Acredito que será um formação muito interessante para avalizar os meus 15 anos de experiência como professora e no atendimento clínico, pois trata-se de uma instituição de ensino importante de Portugal”, falou Adriana, que também é formada em Psicomotricidade Ramain-Thiers.
Para o coordenador do curso do CIAR, e mestre em Educação, José Leopoldo Vieira, a parceria, além de qualificar ainda mais os psicomotricistas relacionais, possibilita aos profissionais o ingresso num mercado internacional. “No Brasil é comprovada a qualidade da Psicomotricidade Relacional como metodologia integrada à educação, e neste convênio os profissionais que atuam em escolas e clínicas, passam a ter um novo mercado de trabalho. Também formamos uma parceria entre a Universidade de Évora e a Universidade Federal do Ceará, para desenvolver cientificamente a Psicomotricidade Relacional com a comunidade portuguesa”, comentou Vieira, que no início de 2008 passou a fazer parte do Corpo Docente da Universidade de Évora, quando lecionou a disciplina de Psicomotricidade Relacional. Entre as escolas atendidas com a Psicomotricidade Relacional está o grupo Positivo, Terra Firme, Interpares, Ponto a Ponto, Bambinata, entre outras.
Informações www.ciar.com.br e www.uevora.pt

Universidade de Évora possui várias
graduações de Reabilitação Psicomotora

O professor português Jorge Fernandes com o
livro trimestral da Universidade de Évora,
onde são publicados os trabalhos dos alunos

Leopoldo Vieira, coordenador do curso no CIAR,
e Adriana Lucchin, que inscreveu para o novo
mestrado

A Psicomotricidade Relacional se utiliza do
jogo simbólico para desencadear o desenvol-
vimento do potencial cognitivo, emocional e
social das crianças

 

Esta matéria foi publicada em:  http://www.pautasjp.com/index.php?pagina=atualidades_noticias&id=182

 

deixe um comentario
Psicomotricistas Relacionais lançam projeto Criança Viva em Curitiba

Deixe um comentario

O seu endereço de e-mail não será publicado.